terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O dom de falar de Deus

"Enquanto Betty ouvia sua netinha de dois anos de idade brincando e cantando alegremente uma miscelânea de melodias no quintal, lembranças felizes lhe  vieram ao pensamento: sua própria avó trabalhando na cozinha enquanto a pequena Betty brincava e cantava alegremente aquelas mesmas melodias que sua própria sua própria vovó lhe havia ensinado.
"Parei para pensar na vovó, em como ela havia partilhado o seu amor de Deus comigo", disse Betty. "Vovó não tinha cultura e não entendia de teologia, mas certamente sabia como amar.
Porque há mais de 50 anos ela ensinava na Escola Dominical a crianças de dois anos de idade".
Todos os sábados os avós de Betty iam à igreja para certificar-se de que a sala dominical estava preparada para as crianças. A vovó preparava suco de frutas e biscoitos em forma de animais. As pequeninas coisas que ela sempre fazia para ilustrar a história bíblica estavam prontas - flores de papel com as palavras "Ele cuida de ti" caprichosamente desenhadas à mão, ou pequenos saquinhos de arroz para representar os sacos de cereais que José deu a seus irmãos. Os flanelógrafos, os montes de crayons e papel.
Os braços abertos e acolhedores da vovó.
"Quando vovó morreu aos 85 anos, a igreja estava cheia para seu funeral", lembra Betty. "Muitos estavam ali para homenagear sua viva demonstração de amos de Deus. Uma porção de pessoas tinham um relacionamento pessoal com Deus porque a vovó amava seus filhinhos".
Betty nunca se lembra de sua avó pregando. Ela não se lembra dela julgando ou condenando outras pessoas. Os que a cercavam viam nela um Deus que realmente se interessa pelas pessoas, um Deus para o qual cada pessoa era importante, ainda que fosse pequena e insignificante. Eles viam um Deus que era digno de confiança e que sempre estava ali, pronto para dar boas-vindas a todos com os braços abertos. "Sua fé era simples - como a das crianças, para dizer a verdade", disse Betty. " Mas fico imaginando se vovó, em toda a sua simplicidade, não foi mais eficiente como evangelista do que os maiores pregadores do mundo".


Texto de : Jan Stoop e Betty Southard


Foto: http://iwantonlyou.blogspot.com/2011_02_01_archive.html

domingo, 18 de dezembro de 2011

Segredinhos de Verdade - My Life

Quando engravidei, era notório que eu e meu marido sentíamos que poderia ser um menino.
É tão verdade que nem pensávamos em nome de meninas.
Daniel era a primeira opção.Nathan Junior era insistido de todas as formas e foi excluído sem sombra de dúvidas, pelo amor heim??. E assim seguiam-se as semanas gestacionais.
Passado algum tempo, comecei a pensar na loucura magnifica que é ser mãe, e junto com esses pensamentos vieram também uma vontade de um dia ter uma filha, uma linda menininha. Eu eu "dizia" em meu coração: "Como gostaria de ter uma companheirinha."
Confesso que sempre vi meu marido como um homem de grande intimidade com Deus. E de fato ele o é. Então, a certeza de ser um menininho em minha barriga era maior. Claro que ele terá seu pedido atendido por Deus.
Na verdade verdadeira, nenhum de nós nos preocupávamos com isso, eram só divagações de uma gravidez de primeira viagem, e estávamos extremamente alegres,independente do sexo.
No dia marcado, acordamos mais cedo que o habitual e fomos fazer o exame da descoberta. Pronto, uma MENINA!
Ficamos muito felizes e já começamos a pensar no nome dela. Ao chegar em casa, sozinha, Deus fala comigo quando coloco a bolsa em cima do sofá. "É a sua companheirinha. Por que você acha que não te escuto como escuto seu marido. ? Eu te amo".
Fiquei parada, atônita e comecei a chorar.
Liguei para o Nathan na mesma hora, e só então ele me contou que ao abrir os olhos nesse dia, Deus falou ao seus ouvidos: "É uma menina!
Por que não me disse? Perguntei. "Você iria saber de qualquer jeito." disse ele.


Quando achamos que não somos ouvidos por Deus, e que outra pessoa é mais amada, nos engamos.
Ele escuta nosso íntimo e nos ama mais do que podemos imaginar.
Obrigada Jesus.
Minha companheirinha, enviada por Deus!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Inquietude

Esses dias ando pensando muito sobre dinheiro e como isso nos afeta absurdamente.
Tenho percebido que quanto mais me afasto de Deus mais me aproximo de uma falsa necessidade de preenchimento material.
Penso também que tudo é uma questão de equilíbrio. Não quero ser obcecada em mudar de carro todo o ano, mas também não vou me tornar um São Francisco de Assis. Tudo que é exagerado soa um pouco de hipocrisia no meu ponto de vista.


Mas vivencio hoje o lado 80, entre o "8 e 80", no quesito dinheiro.
Tudo que vejo e anseio, quero comprar. Preencho uma lista interminável de coisas a consumir.
Percebo que o afastamento da presença de Deus, me leva para as necessidades intermináveis.
Quero agora encontrar o equilibrio sem fingimento.
O mundo está aí as portas, aliás, mais do que portas, janelas escancaradas disfarçadas em financiamentos tentadores, que nos enganam nos juros escrito em tamanho minúsculo.
Aquele carro, apartamento novo, e lindas roupas e viagens... Tudo isso é maravilhoso.Creio que Deus tem o melhor para mim e se alegra com minha satisfação. Mas devo lembrar que tais coisa são as consequências da minha vida Nele, e não o primordial ou por merecimento.


Vidas ao invés de coisas devem ser prioridade. Aonde está o meu amor por Ele para salvar tais vidas?


Sem ser coincidência, Ele me leva hoje a leitura de Timóteo e olha o que encontro:

"De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro,
pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar;
por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos.
Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição,pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos.
Você, porém, homem de Deus, fuja de tudo isso e busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão.
Combata o bom combate da fé. Tome posse da vida eterna, para a qual você foi chamado e fez a boa confissão na presença de muitas testemunhas." 
1 Timóteo 6:6-12





sábado, 10 de dezembro de 2011

Um minuto de Paz





"Passarinhos de neve. Era assim que nós os chamávamos sempre. Eram aves do norte que buscavam temperaturas mais amenas no cinturão do sol nos meses mais frios do inverno.
Alguns locais se ressentiam com sua invasão migratória anual , enquanto outros acolhiam bem seu aparecimento. Mas quase todos os consideravam diferentes. Eram "eles", e não "nós".
Distinções. Diferenças. Categorias.
Como é tentadora a tendência universal de categorizar as pessoas que ficamos conhecendo. Nós as colocamos adequadamente em caixinhas dentro da nossa cabeça com etiquetas "familiares" e "estranhas" enquanto ficamos negando nossos preconceitos. Colarinho branco ou colarinho azul; pretos ou brancos; pessoas educadas ou ignorantes. As etiquetas se transforam em caixas dentro das nossas cabeças nas quais nós admitimos ou rejeitamos pessoas que encontramos um dia depois do outro.
Mas deixando as diferenças de lado, somos realmente mais parecidos uns com os outros do que diferentes. E nunca sabemos por meio de quem Deus pode querer nos falar, chamar nossa atenção ou tocar em nossos corações.
A pessoa que mais me irrita é bem possível que seja um reflexo do meu próprio lado sombrio, aquela parte de mim mesma de que eu menos gosto, com a qual eu luto ou por causa da qual me sinto embaraçada. Antes de rapidamente fazer julgamentos sobre os outros, talvez eu precise pedir a Deus que me ajude a voltar o foco de luz para mim mesma. Talvez eu possa começar a orar pela pessoa com a qual acho difícil lidar e, ao fazer isso, fique surpreendida ao perceber quem experimenta as maiores mudanças de atitude - pode ser justamente eu."


"Pois Ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um e destruiu a barreira, o muro de inimizade..." Efésios 2:14

Texto de: Debra Klingporn: Escritora free-lancer e editora.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Se amas teu filho


Li isso no blog: 
http://www.askmi.com.br/ e amei

Se amas teu filho

Responda-lhe, não o informe;

Ajude-o, não o bloqueie;

Abriga-o, não o sufoque;

Ama-o, não o idolatre;

Mostra-lhe o perigo, não o aterrorize;

Acredite em suas esperanças, não o desencante;

Não exija que seja o melhor, peça-lhe que seja bom

e dá-lhe o exemplo;

Rodeie de amor, não o isole;

Não lhe ensina a "ser" mas aja como quer que ele seja;

Lembre-se que teu filho não te escuta, mas sim te observa.

domingo, 27 de novembro de 2011

Novidade



Como eu amo escrever.... eu preciso escrever para extravasar meus pensamentos... Nem sei por que parei por um tempo... mas agora decidi recomeçar...


Ando pensando na palavra NOVIDADE! E assim comecei a refletir se tudo que é novo é mais gostoso. 
Descobri um novo lugar  para comprar as frutas e verduras semanais aqui de casa. Super agradável com  belíssimas frutas e perfeita disposição dos produtos  Mas o que mais chamou a atenção não foram os produtos, e sim o carisma e atenção dos funcionários para com todos que entram nesse estabelecimento.
É tão confortante estar lá, que não consigo reclamarar dos possíveis aumentos que podem ocorrer nessa inflação disfarçada em que vivemos no Brasil. Está explicito no rosto dos funcionários  a ansiedade saudável e esperançosa de uma nova chance de começar ou recomeçar. Uma nova vida, um novo emprego está aqui.
Em contra partida, vou ao bom e velho supermercado de sempre, pois com uma criança em casa, não posso mais me dar ao luxo de esquecer alguns produtos e viver de miojo. Já vivencio uma experiência completamente diferente: funcionários desanimados e outros mal educados.
Será a questão da novidade que nos leva a alegria e prazer de trabalhar, amar e viver?
O novo pode trazer uma esperança adormecida por inúmeras desilusões?
Somos atraídos para o novo, pois em certo momento de nossas vidas cansamos do velho.
Mas devemos lembrar que um dia o novo também se tornará velho, e novos problemas aparecerão. 
O que penso agora é quando precisaremos buscar o novo e desistir do velho!
Será o novo sinônimo de paz?


Jesus, velho aos olhos do mundo, é eternamente novo, e se torna novidade de vida TODO O DIA!
NELE, em meio ao novo ou velho, encontro a paz!


Senhor, me ajude a discernir!!





quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Encontrei um Texto que reflete o que penso: NEM




Por Guilherme Tartaruga
A prisão do traficante “Nem” da Rocinha ocupou todos os noticiários e capas de jornal. Parecia que a polícia tinha acabado com o tráfico de drogas de uma vez por todas. Nem (não o traficante…rs) parecia que no dia seguinte já haveria alguém para comandar o tráfico no lugar do “Nem” e que drogas continuarão sendo vendidas mesmo após a instalação de uma UPP da comunidade.
Mas em meio a tanto reboliço, duas coisas chamaram a minha atenção: a louvação aos policiais que recusaram a generosa propina oferecida em troca da liberação do traficante e os comentários a respeito de “Nem” ter ligado para sua mãe ao ser preso.
É lamentável que tenhamos chegado num ponto tal de corrupção, onde aqueles que fazem apenas o que deveriam fazer são louvados como se estivessem fazendo algo excepcional. Longas reportagens são feitas. Todos os programas de TV querem entrevistá-los. E tudo isso para dizer-lhes o quanto eles são bons!
Esta atitude diz muito a nosso respeito. Fica evidente que já consideramos a corrupção como algo normal e que é isso que devemos esperar, não só dos policiais, mas de qualquer um! Eu pude ouvir até comentários que chamavam estes policiais de otários, pois deveriam ter aceitado a propina. A corrupção deveria nos chocar, mas o que nos choca não é nem o fato das pessoas irem além do que deveriam, mas de fazerem APENAS o que deveriam. E quando as pessoas fazem APENAS o que deveriam são elevadas por nós ao status de Baluartes da Virtude.
E quanto ao traficante “Nem” ter chorado, ligado para a mãe e ter pedido para os filhos não faltarem à escola, a nossa reação a isto também revela algumas coisas a nosso respeito.
Temos a tendência a achar que qualquer criminoso é a encarnação do mal. Talvez isso derive dos personagens de folhetins televisivos, onde há um maniqueísmo premeditado, e o vilão é tão mal que não é capaz de amar ninguém, nem mesmo filhos ou pais. E o mocinho é a virtude em pessoa, que ama a todos, até mesmo o vilão.
Isso ficou bem claro quando, em um desses folhetins, o autor optou por não apresentar a mocinha e a vilã num primeiro momento. Sabia-se que, entre as duas personagens principais, uma seria boa e a outra má, mas enquanto isso não foi revelado, foi nos dado a conhecer atitudes boas e más das duas. Eram duas pessoas normais, com atitudes aprováveis e reprováveis. A partir do momento em que foi revelado o papel de cada uma na trama, a humanidade da vilã foi retirada. Ela não era capaz de manter nenhum tipo de relacionamento sadio. Não era capaz de ter nenhuma boa intenção. Já a mocinha era só virtude e sofrimento. Pagava o preço por ser boazinha e chorava o tempo todo com as maldades que sofria.
Diante dessa maneira maniqueísta de ver o mundo, não conseguimos compreender como um traficante, que amedrontava a comunidade da Rocinha, que vivia no ambiente violento do narcotráfico carioca, que provavelmente já matou ou mandou matar diversas pessoas, era também capaz de chorar ao falar com sua mãe e de se preocupar com o fato de seus filhos continuarem a estudar. Mas a verdade é que, por pior que o criminoso possa ser, não podemos presumir que ele não ame ninguém, não se preocupe com ninguém.
E como continuidade deste raciocínio, acabamos achando que, por não sermos traficantes, assassinos ou pedófilos, nós somos bons. Eles são o mal e nós somos o bem. Eles merecem punição e sofrimento, e nós merecemos “tudo de bom nesta vida”. Deus, se for justo, tem que castigá-los e nos recompensar.
Então, o resumo do pensamento até agora é: os policiais que não aceitaram propina e prenderam o “Nem” são bons e merecem ser homenageados e recompensados porque fizeram aquilo de deveriam fazer. E nós somos bons e merecemos o reconhecimento de Deus porque não somos nenhum “Nem”.
Mas quem somos nós diante de Deus? E o que podemos fazer para merecer o seu favor? E quem receberá o seu castigo?
A resposta a estas perguntas estão na Palavra de Deus.
Quem somos nós diante de Deus?
como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer. A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios, a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura; são os seus pés velozes para derramar sangue, nos seus caminhos, há destruição e miséria; desconheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos. (Romanos 3:10-18)
Você pode estar pensando: mas este texto não está falando sobre o “Nem”? A resposta é NÃO! Estes somos nós! É assim que somos descritos na Palavra de Deus. Não há nenhuma vantagem nossa em relação aos “Nens” do mundo.
Você ainda pode argumentar: Mas e os policiais que não aceitaram propina? Mais uma vez a resposta vem da Palavra de Deus:
Qual de vós, tendo um servo ocupado na lavoura ou em guardar o gado, lhe dirá quando ele voltar do campo: Vem já e põe-te à mesa? E que, antes, não lhe diga: Prepara-me a ceia, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois, comerás tu e beberás? Porventura, terá de agradecer ao servo porque este fez o que lhe havia ordenado? Assim também vós, depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer. (Lucas 17:7-10)
Fazermos o que Deus manda não nos redime dos nossos pecados e da nossa maldade. É a nossa obrigação diante de um Deus Santo e Perfeito. Toda vez que pecamos ficamos em débito. E quando fazemos algo certo fazemos apenas o que nos foi ordenado, então não pagamos nenhum débito. Por isso é impossível sermos aceitos diante de Deus pelas nossas boas obras. Sempre estaremos em débito!
Então, o que podemos fazer para merecer o seu favor? E quem receberá o seu castigo?
Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é julgado o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. (João 3:16-18)
Aquele que crê no Senhor Jesus não será julgado. Aquele que não crê já está julgado.
Jesus é o único diferencial. Ele é a ruína e o levantamento de muitos (Lucas 2:34). São as obras dele que obtém o favor de Deus. É a justiça dele que é aceitável diante de Deus.
Sem Jesus, eu, você, os policiais que prenderam o “Nem” e o próprio “Nem” estamos todos condenados diante de Deus, porque somos igualmente, isso mesmo, IGUALMENTE pecadores.
De igual modo, eu, você, os policiais que prenderam o “Nem” e o próprio “Nem”, se reconhecermos que somos maus e crermos no Senhor Jesus e na obra realizada por ele na cruz, teremos os nossos pecados perdoados e seremos reconciliados com Deus.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Toquinho

Cresci ouvindo Toquinho, e até dói meu coração de saudades......
Que delícia ser criança e ver o mundo de outra perspectiva, do lado mais simples!!!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

MINISTÉRIO GUERREIROS DE DEUS

Lembra quando escrevi que desejo que todas as crianças do mundo fossem felizes?
Recebi um relatório do ministério Guerreiros de Deus e li estas estatísticas:


  •      Neste instante, cerca de 963 milhões de pessoas no mundo passam fome.
  •     Todos os dias, quase 16.000 crianças morrem de causas relacionadas a fome – uma criança a cada cinco segundos.
  •    Em 2006, cerca de 9,7 milhões de crianças morreram antes de completar cinco anos.


Quem puder ajudar esse ministério apadrinhando uma criança,será uma benção, veja no site os detalhes:



Miss. Alexandre, Giovana Canhoni e Equipe no Niger agradecem suas orações!
MINISTÉRIO GUERREIROS DE DEUS

Palavra

"Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança Nele, para que vocês transbordem de esperança pelo poder do Espírito Santo"
Romanos 15:13

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Faixas de vida

Acabei de ler no pavablog.com .um estudo publicado na gazeta do povo sobre comportamento das gerações.
Copiei aqui uma pequena parte do estudo, veja que interessante:
QUAL A SUA GERAÇÃO??





Faixas de vida
O estudo de gerações procura relacionar o comportamento dos jovens à época em que vivera
  • Veteranos (1925-1944)
São os jovens que nasceram no período entre guerras. Esta geração foi amplamente afetada pelas crises econômicas e a divisão provocada pelos conflitos bélicos. São pessoas que se tornaram a agir sob pressão e tomar decisões difíceis. Valorizam e respeitam regras, e costumam ser pessoas rígidas e exigentes.
- Pertencentes: Silvio Santos, Clint Eastwood
- Filmes para entender: As Confissões de Schmidt, Gran Torino,
  • Venus Babyboomers (1945-1964)
Define os nascidos após o fim da Segunda Guerra Mundial, quando houve uma explosão de natalidade nos Estados Unidos. Foi uma geração que viveu as contradições da segunda metade do século: a conquista espacial e o horror do Vietnã; o capitalismo consumista e movimento hippie; a segregação racial e o rock’n’roll. São pessoas idealistas e contestadoras.
- Pertencentes: Lula, Bill Clinton, Bruce Springsteen
- Filmes para entender:
Foi Apenas um Sonho, Todos os Homens do Presidente, O Reencontro
  • Geração X (1965-1980) a minha!!!
Essa geração nasceu em um mundo com menos perspectivas utópicas e abalado por crises financeiras. O prolongamento da Guerra Fria sem uma solução definitiva causou um sentimento de insegurança e precaução. Por conta disso, essa geração priorizou carreiras relacionadas a finanças e administração.
- Pertencentes: Marcelo Rubens Paiva, Brad Pitt, David Beckham
- Filmes para entender: Wall Street: Poder e Cobiça, Amor sem Escalas, Antes do Amanhecer

  • Geração Y (A partir de 1980)
Esta geração cresceu sob o impacto de sucessivas revoluções tecnológicas, que alteraram profundamente as formas de relacionamento. Entram no mercado de trabalho em um período de mudanças no mundo corporativo e são capazes de projetar várias possibilidades de carreira. São considerados imediatistas e indisciplinados, porém criativos e com facilidade de adaptação.
- Pertencentes: Mallu Magalhães, Mark Zuckerberg, Justin Timberlake
- Filmes para entender: Juno, 500 Dias com Ela, A Rede Social



Fonte: pavablog.com , texto: gazeta do povo

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Deleite-se hoje





"Eu e meu marido estávamos dando nosso primeiro passeio de bicicleta no início da primavera. Depois de anos de bicicleta, todos os anos na primavera eu ainda me sentia como principiante em minha primeira saída.
Quando nos aproximamos de um cruzamento, ouvi um carro atrás de mim. Olhei para trás. Minha bicicleta deu uma guinada para a direita, e a roda raspou no meio-fio. E lá fui eu. Felizmente meu único machucado foi um joelho esfolado, uma unha do dedo quebrada e muita vergonha.
"O que aconteceu?", Kyle perguntou.
Respondi humildemente: "Eu olhei para trás".
É fácil olhar para trás para os erros do passado, como aqueles que eu cometi enquanto criava meus filhos. E quando um parente mais velho criticava meus esforços maternais, a raiva pegava carona junto com a culpa. Durante anos, essas emoções destrutivas me mantiveram afastada de uma caminhada mais íntima com Deus.
Que lição Paulo me ensinou! Ele se recusava a se apegar aos erros terríveis do passado ou às críticas injustas. Ele colocava essas coisas para trás e mantinha os olhos fixos no que estava à frente, dizendo: "Prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus"



"Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante" Filipenses 3:13


Autora: Shirley Pope Waite

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O Espírito fala

Hoje no devocional lemos Atos 8:26 a 33
Reparamos que o Espírito de Deus fala conosco de uma maneira bem direta:


"E o Espírito disse à Filipe: "Aproxima-se dessa carruagem e acompanha-a". Então Filipe correu para a carruagem" 

O Espírito falou com Filipe,ele correu para obedecer e uma vida foi salva.
Quanto tempo não escuto Deus falar ao meu coração. Quantas vidas estão passando nas carruagens ao meu redor e passam desapercebidas.
Fala comigo Senhor, estou pronto para ouvir sua voz. 
Rapidamente o louvor brotou em nossa mente e começamos a cantar:

Como as crianças reagem a um prato vazio

Sensacional!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Valor própio original

"Adão e Eva perderam o senso e claro a sua própria identidade. Aquele retrato de si mesmos que eles viam refletido no olhos cheios de amor daquele que os desenhou ficou manchado e distorcido quando se rebelaram contra ele. Subitamente ficaram envergonhados dos corpos que sentiam serem tão bons. Subitamente puseram-se à procura de folhas de figueira e de um bom lugar para se esconder.
Muitos de nós carregamos em nós o destrutivo desfecho da escolha errada feita no Éden. Encontramos as nossas imagens nos olhos de outras pessoas imperfeitas  (pais, colegas, professores, etc..)e desenvolvemos um sentimento defeituoso de nós mesmos.
Um senso doentio e irreal do eu pode tornar nossas vidas miseráveis e até mesmo arruinar nossa saúde. Já conheci mais de um adolescente anoréxico que tentou obstinadamente passar fome porque olhava para seu corpo magro e o achava gordo.
Tenho outra bela amiga que já ganhou importantes concursos de beleza,mas vê seus defeitos mais claramente do que seus pontos fortes.
Nossa perda de identidade geralmente é mais profunda do que nossa aparência. Tentamos adquirir um senso de significado em muitas áreas também: nosso trabalho, nossas realizações, nossa conta bancária, nossa posição social, nossos "contatos". Adão e Eva no jardim não precisaram dessas coisas para provar seu valor. Mas nossa cultura caótica nos faz correr em círculos, tentando encontrar nosso valor nas coisas que fazemos.
No ano em que trabalhei na indústria da propaganda, vi de perto que as fortunas são feitas e o impérios construídos sobre as frágeis auto-imagens dos consumidores em perspectiva.Cada item de propaganda que eu escrevia destinava-se a convencer os compradores de que este carro, a compra naquela loja ou jantar nesse restaurante finalmente os faria sentir-se completos, felizes e realizados - assim, com uma simples compra eles poderiam num golpe de mágica possuir autoconfiança de que sentiam falta.


Mas a verdade é que nenhuma quantia de dinheiro pode nos trazer de volta aquele sentimento real e equilibrado de valor próprio que ficou lá no Éden. Ele pode ser encontrado apenas onde Adão e Eva o encontravam, nos olhos daquele que nos criou."










Autora: Claire Cloninger - Alabama -  EUA

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Criança hoje e para sempre




A inocência do olhar me constrange;
Tudo é lindo e novo;
Elas me fazem enxergar a beleza do dia apesar das nuvens; 
Volto a ser criança. 

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Centro



Ontem, como todo final de semana, fomos comprar frutas e verduras para nossa querida filha.
Esse ritual se iniciou quando a Julia entrou na fase das papinhas e agora comidinhas.
Agora entendo porque toda mamãe que se prese entende muito bem de todas aquelas "verduras verdes".  Na minha época de solteira todas se resumiam à alface.

Já em casa, papai da Julia foi dar o banho que ela adora, e eu agradeço. E dessa vez fui descarregar as caixas no carro. Como não sou fortinha, fiz algumas viagens pelo elevador. Até que num momento mágico, lembrei da Música "Jesus, seja o Centro" do grupo Vyneard e comecei a cantá-la por todo percurso.
Me veio a memória um tempo de 8 anos atrás, quando cantava pedindo para Jesus ser meu centro, minha visão, meu todo coração.

Claro que essa música veio agora à mim por um motivo muito especial. Todas as minhas vontades estão indo ao contrário do verdadeiro centro. Todas as minhas vontades percorrem  caminhos materiais intermináveis.
A prioridade está invertida.

O Espírito de Deus veio a tona em forma de música, e me levou para o ponto de partida.
Da partida da minha vida, onde meus primeiros passos seguiam para o centro... Jesus.



Jesus, seja o centro
Minha fonte, minha luz
Jesus
Jesus, seja o centro
Minha esperança e canção
Jesus
Seja o fogo em meu ser
Seja o vento a soprar
A razão de viver
Jesus, Jesus
Jesus, seja a visão
Meu caminho e direção
Jesus

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Anne Frank, você conhece?





Há 14 anos, me arrisquei ao lado da querida amiga Daniela, em uma viagem emocionante por vários países da Europa.  Mal sabia que ao passar por Amsterdam, na Holanda, conheceria o  famoso esconderijo de Anne Frank.
Emocionada e constrangida pela história, comprei seu diário.
Fiz esta leitura no decorrer da viagem que fizemos de trem.
Com o diskman na mochila, a trilha sonora era o grupo U2 na sua fase mais revolucionária. Numa temperatura baixissima e neve atolando no nossos sapatos, entrei nesse diário como quem entra na casa da personagem principal e convive com ela intimamente. 
Aproveitei para conhecer os campos de concentração na Alemanha e vivi momentos que me recordo como se fosse ontem.
Realmente essa viagem foi um clipe da década de 40 com pano de fundo para a II Guerra Mundial. Inesquecível.


Ler “O Diário de Anne Frank” é, sem sombra de dúvida, uma experiência única.
E pensar que ela o escreveu aos 14 anos de idade.
Como pode um ser humamo ficar preso por 2 anos em um lugar extremamente pequeno, dividindo com mais de 5 pessoas?
Sua única visão do mundo era uma fresta da janela.


Esse é um livro que jamais esquecerei, por isso escrevo sobre ele aqui. Recomendo


Annelisse Maria Frank, mais conhecida como Anne Frank (Frankfurt am Main12 de Junho de 1929 — Bergen-Belsen31 de Março de 1945), foi uma adolescente alemãde origem judaica, vítima do holocausto, que morreu aos quinze anos de idade numcampo de concentração. Ela se tornou mundialmente famosa com a publicação póstuma de seu diário, no qual escrevia as experiências do período em que sua família se escondeu da perseguição aos judeus dos Países Baixos. O conjunto de relatos, que recebeu o nome de Diário de Anne Frank, foi publicado pela primeira vez em 1947e é considerado um dos livros mais importantes do século XX.
Fonte: Wikipédia


terça-feira, 20 de setembro de 2011

Devocional - Um raro perfume

"De vez em quando a gente sente um cheiro leve de alguma coisa que desperta toda uma cadeia de lembranças. Entrei em um banheiro alguns momentos atrás e os traços do cheiro de um perfume que permaneciam no ar me fizeram lembrar do sabonete Lifebuoy - o original cor-de-laranja com cantos hexagonais que enfeitava as velhas pias das cozinhas das fazendas. Todos os que atravessaram os caminhos com um sabonete Lifeuoy na mão vinha se sentindo mais limpos, e perfumados também.
Numa determinada época, parecia que toda a população rural era um cartaz ambulante. Subitamente os magnatas dos sabonetes mudaram os perfumes, e tivemos de pagar por formas mais sofisticadas mas menos eficientes de fazer propaganda.
O tônico capilar pareceu durar um pouco mais, apesar de ter cheiro de gordura de galinha perfumada, rançosa ainda por cima. Quando os ventos da primavera chegaram, muitos rapazes com os cabelos alisados e brilhantes foram namorar suas garotas que rapidamente encresparam os cabelos com uma permanente caseira, cujos resquícios, quando expostos ao calor do sol, cheiravam levemente a gambá.
O que eu acho peculiar é que essas pessoas parecem interpretar os cheiros de maneira diferente. O que é perfume para um é mau cheiro para outro. (Meu marido) detesta encostar em folhas gerânios, ao passo que eu acho que o perfume deles é bastante revigorante.
O apóstolo Paulo nos faz lembrar que nós, como crentes, representamos o "aroma" (bom perfume) de Cristo. Mas nem todos vão interpretar o nosso comportamento como sendo assim tão doce ( e às vezes por motivos válidos!), nem vão se agradar de nossa presença se isso significar embaraço para eles em uma situação nada confortável.
Deveríamos nos lembrar de que são raros os perfumes com uma atração sutil, e um toque atrás de cada orelha é tudo que se faz necessário. Mas em vez de gentilmente atrair as pessoas a Cristo, alguns cristãos acham que devem "vir com tudo". Assustados com uma confrontação assim tão atrevida com o evangelho, os incrédulos acabam achando-o repulsivo.
Exatamente como usamos o perfume com discrição, devemos usar o discernimento quando nos aproximamos das pessoas para falar de salvação. É reconfortante saber que até mesmo um esforço assim humilde como uma vida diariamente entregue a Cristo deixa resquícios permanentes de testemunho por onde passamos, e "por nosso intermédio exalamos em todo lugar a fragrância do seu conhecimento"


"Mas graças a Deus, que sempre nos conduz vitoriosamente em Cristo e por nosso intermédio exala em todo lugar a fragrância do seu conhecimento" 2 Co 2:14


"Porque para Deus somos arama de Cristo entre os que estão sendo salvos e os que estão perecendo" 2 Co 2:15  


Texto: Alma Barkman;
Alma reside há muito tempo em Manitoba, no Canadá. Ela é formada pelo Moddy Bible Institue e é dona-de-cada e mãe de quatro filhos. Alma escreveu uma divertida seção de jornal  "The Alma Knack" ( O jeitinho de Alma), e diversos livros que receberam prêmios, inclusive Days Remembered, Time to treasure e Light reflections.